Cookies e Política de Privacidade
A SIGNIS Agência de Notícias utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

CNBB prestará homenagem a comunicadores vítimas da Covid-19

Amigos e familiares de profissionais mortos em decorrência de coronavírus poderão indicar nomes através de formulário; link na matéria.

Há 1 mes - por Cléo Nascimento
CNBB prestará homenagem a comunicadores vítimas da Covid-19
(foto por CNBB)
A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) fará um tributo aos comunicadores e agentes da Pastoral de Comunicação (Pascom), vítimas da Covid-19. O ato acontecerá no dia 25 de setembro, durante a 53ª edição dos Prêmios de Comunicação, evento promovido pela entidade em reconhecimento aos profissionais da comunicação do país.
 
Embora a homenagem seja direcionada para profissionais de meios católicos, o coordenador da premiação, Rafael Alberto, falou à Agência SIGNIS que uma equipe de pesquisa tem trabalhado para trazer a memória de comunicadores de mídias seculares.
 
"Ao homenagear os comunicadores mortos na pandemia, queremos marcar uma posição de voz profética. E, claro, levar alguma mensagem de esperança para os amigos e familiares que ficaram. Para que possam encontrar forçar para seguir em frente", explicou o porta-voz.
 
A indicação dos nomes poderá ser feita até 25 de setembro, por meio de formulário online, disponível no link https://forms.gle/Eik4tGGzAVucU4GbA.
 

A premiação

 
A cerimônia de premiação é realizada desde 1967, mas os prêmios tem datas de criação diversas. O primeiro foi o "Margarida de Prata", para o cinema. Hoje, contempla outros segmentos, como o rádio (Microfone de Prata), a televisão (Clara de Assis), imprensa escrita (Dom Helder Câmara) e internet (Dom Luciano Mendes De Almeida).
 
Esta edição teve quase  400 trabalhos inscritos. Destes, 15 foram selecionados pela comissão avaliadora, e serão anunciados no dia 20 de outubro, em evento transmitido por emissoras de inspiração católica.
 
"Os prêmios sempre foram e continuarão sendo um momento de festa, de alegria pelos trabalhos selecionados. Neste ano, porém, eles tem uma nota de tristeza e mesmo de indignação pela situação que estamos vivendo. Além do vírus, temos que lidar com negacionismo, fake news, posições de combate à orientações científicas de quem se esperava justamente o contrário. Tudo isso colaborou para aumentar o número de vítimas", contou Rafael Alberto.
 
Uma das característica do evento é seu papel político, no sentido de reconhecer trabalhos com propostas que defendam valores cristão que promovam a vida, a justiça e dignidade de cada pessoa.
 
"Uma questão importante para a edição deste ano era não normalizar o que estamos vivendo. Estamos em uma pandemia. Seguimos tendo que ter cuidados. Por isso, a cerimônia será quase toda on-line. Teremos uma equipe mínima no estúdio, apenas para garantir a condução dos trabalhos. Todos os convidados irão participar remotamente. Isso porque defendemos a vida e entendemos que a vida é protegida quando seguimos a ciência".

Comentários

  • Esta notícia ainda não tem comentários. Seja o primeiro!