Cookies e Política de Privacidade
A SIGNIS Agência de Notícias utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Papa Francisco reza à Imaculada Conceição por aqueles que sofrem com guerras e crise climática

Seguindo tradição de seis décadas, pontífice rezou aos pés de imagem da Virgem Maria, localizada em uma praça no centro de Roma.

Há 2 meses - por Redação
Papa Francisco reza à Imaculada Conceição por aqueles que sofrem com guerras e crise climática
(foto por Reprodução - Youtube Vatican News)
O Papa Francisco dedicou um momento da sua manhã, nesta quarta-feira (8), para prestar homenagem à Nossa Senhora e pedir "o milagre da cura para os povos que sofrem duramente com as guerras e a crise climática". Segundo o portal Vatican News, o ato se deu na Praça de Espanha, no centro de Roma, onde tradicionalmente, há 60 anos, os papas se dirigem para um momento de oração no dia da festa da Imaculada Conceição.
 
Levando uma cesta com rosas branca, Francisco se deteve por alguns instantes, em silêncio, diante da imagem da Imaculada e também pediu "que Ela possa desfazer o coração de pedra daqueles que constroem muros para distanciar de si mesmos a dor dos outros". Logo depois, o Papa foi à Basílica de Santa Maria Maggiore, onde seguiu sua prece em frente ao ícone de Maria Salus Populi Romani.
 

Angelus

 
Mais tarde, durante o Angelus, Francisco falou da importância da Solenidade e refletiu sobre a humildade de Maria: "Maria Imaculada não tem olhos para si mesma. Esta é a verdadeira humildade: não ter olhos para si mesmo, mas para Deus e para os outros”.
 
Ao término da oração, o Papa recordou a viagem apostólica ao Chipre e à Grécia, realizada de 2 a 6 de dezembro, exortando os cristãos a não se deixarem vencer pela indiferença diante daqueles que padecem.
 
“Por favor, olhemos nos olhos os descartados que encontramos, deixemo-nos ser provocados pelos rostos das crianças, filhos de migrantes desesperados. Deixemo-nos comover pelo sofrimento deles para reagir à nossa indiferença; olhemos para seus rostos, para nos despertar do sono do hábito!”, disse o pontífice.
 

Comentários

  • Esta notícia ainda não tem comentários. Seja o primeiro!