Cookies e Política de Privacidade
A SIGNIS Agência de Notícias utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Religiosas abrem instituição de ensino secundário no Iraque

“Com uma escola como esta temos a possibilidade de um estudo de qualidade e sentimos que temos aqui um grande futuro”, disse Rameel Rabu Wadi, aluno de 16 anos

Há 12 dias - por Márcio Martins (ACN-Ajuda à Igreja que sofre)
Alunos da escola secundária em Qaraqosh, no Iraque: renascimento cristão
Alunos da escola secundária em Qaraqosh, no Iraque: renascimento cristão (foto por Sete Imagens)

Os cristãos iraquianos contam a partir do último domingo, 1º de maio de 2022, com um marco importante no caminho para a recuperação do genocídio que sofreram ao longo das últimas décadas, quando uma comunidade de irmãs abriu oficialmente sua tão esperada escola. Com capacidade para 625 alunos, a Escola Secundária Al-Tahira, em Qaraqosh, a maior das 13 cidades e vilas cristãs nas icônicas Planícies de Nínive.

Ao contrário da maioria dos projetos estruturais que envolvem a restauração de edifícios danificados pelo Estado Islâmico, durante sua ocupação de Nínive, a escola mista foi construída do zero no que era o playground da Escola Primária Al-Tahira, também administrada pelas Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Siena.

A Escola Secundária Al-Tahira, que admitiu seus primeiros alunos em fevereiro, compreende instalações de última geração espalhadas por três andares, incluindo três laboratórios de ciências, um centro de computação, uma grande sala de conferências, biblioteca e capela.

Envolvida desde o início do projeto, a Ajuda à Igreja que Sofre (ACN) garantiu mais de 80% dos US$ 2,1 milhões necessários para a construção da escola. Segundo o Dr. Thomas Heine-Geldern, presidente executivo da ACN Internacional, que participou da cerimônia de abertura juntamente com outros funcionários da instituição, "a escola é um dos maiores projetos no Iraque apoiados pela ACN, e tem sido um privilégio trabalhar com tantos indivíduos e organizações comprometidas nesta obra, incluindo a conferência dos bispos austríacos, apoiada pelo governo austríaco. Nos dias mais sombrios da ocupação do Estado Islâmico na região, quem teria pensado que apenas alguns anos depois estaríamos celebrando a abertura de uma nova escola cristã?", indagou.

 A irmã dominicana Huda disse que a escola está ajudando a garantir um futuro para os cristãos em um país onde os números caíram de mais de um milhão, antes de 2003, para cerca de 150 mil atualmente. Ela disse: "Estamos construindo o caráter dos alunos para serem líderes na sociedade, assumindo a responsabilidade e desenvolvendo um plano para permanecer neste país. A presença das Irmãs aqui, a presença da escola aqui são sinais de esperança, dando às pessoas uma razão para ficar”, conclui.

 

Sobre a ACN (Ajuda à Igreja que Sofre)

A ACN (Ajuda à Igreja que Sofre) é uma Fundação Pontifícia que auxilia a Igreja por meio de informações, orações e projetos de ajuda a pessoas ou grupos que sofrem perseguição e opressão religiosa e social ou que estejam em necessidade. Fundada no Natal de 1947, a ACN tornou-se uma Fundação Pontifícia da Igreja em 2011. Todos os anos, a instituição atende mais de 5.000 pedidos de ajuda de bispos e superiores religiosos em cerca de 140 países, incluindo: formação de seminaristas, impressão de Bíblias e literatura religiosa - incluindo a Bíblia da Criança da ACN com mais de 51 milhões de exemplares impressos em mais de 190 línguas; apoia padres e religiosos em missões e situações críticas; construção e restauração de igrejas e demais instalações eclesiais; programas religiosos de comunicação; e ajuda aos refugiados e vítimas de conflitos.

Comentários

  • Esta notícia ainda não tem comentários. Seja o primeiro!