Cookies e Política de Privacidade
A SIGNIS Agência de Notícias utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

COMLAC 2022: Comunicação que recupera o humano e sai ao encontro do outro

Essa foi uma das propostas centrais que constam no documento final do congresso promovido pela SIGNIS ALC e realizado nos dias 13 e 14 de julho na Cidade do Panamá

Há 28 dias - por SIGNIS ALC
O COMLAC 2022 foi sediado pela Universidade Santa Maria La Antigua, instituição católica com sede na Cidade do Panamá. Boa parte do programa foi acompanhado por participantes de forma virtual
O COMLAC 2022 foi sediado pela Universidade Santa Maria La Antigua, instituição católica com sede na Cidade do Panamá. Boa parte do programa foi acompanhado por participantes de forma virtual (foto por Luís Henrique Marques)

Com um chamado a "recuperar o humano e a comunidade e sair ao encontro do outro, para além de sua condição e de sua realidade" concluiu-se o VI Congresso Latino-Americano e do Caribe de Comunicação (COMLAC). Na Declaraçao Final do congresso, recomenda-se "reaprender a olhar para sentir e comunicar, a partir de uma dimensão ética e de uma atitude empática, que nos move não apenas a nos colocarmos no lugar do outro, mas a 'sentir com o outro' e nos desafia a construir outra comunicação possível".

O congresso foi realizado nos dias 13 e 14 de julho, na Cidade do Panamá, apesar do preocupante clima de protesto social no país, contra o alto custo de vida.

Na Declaração Final denunciou-se que "a mídia hegemônica torna invisível a realidade convulsiva de nossa região, o que nos obriga a ouvir a realidade de nossos povos 'com os ouvidos do coração', para torná-la visível".

As comunicadoras e comunicadores participantes do congresso prometeram “promover um jornalismo que transforme e estimule a criatividade, a confiança e a esperança”.

Da mesma forma, também se manifestou preocupação com o contexto de violência e perigo em que os profissionais de comunicação devem realizar seu trabalho, pelo qual instaram “os governos da região a investigar e processar os culpados desses crimes e impedir que fiquem impunes”.

Ainda segundo a Declaração Final, "os jovens são reconhecidos como os agentes da transformação social que o mundo, a Igreja e a comunicação exigem e, junto com eles, nos comprometemos a responder ao desafio de fazer uma 'barulho' e promover as mudanças necessárias e urgente da nossa missão comunicacional, com uma perspectiva cristã e humanista".

Assim, recomenda-se também “repensar a comunicação como uma ciência das relações, aberta, inclusiva e equitativa, onde o contexto prevalece sobre o texto e assim favorece o estabelecimento de relações respeitosas, sinceras e frutíferas”.

Por fim, o VI COMLAC propõe "consolidar processos de formação de comunicadores e educomunicadores a partir de uma perspectiva crítica, participativa e socialmente comprometida com as mudanças que nossos povos exigem, que nos permitam prestar um serviço à sociedade, com atenção especial aos excluídos, marginalizados e em situação de pobreza, passar do “ser” ao “nós somos”.

 

Confira o Documento Final do COMLAC 2022 (original em espanhol): 

https://signisalc.org/wp-content/uploads/2022/07/DECLARACION-FINAL-COMLAC-2022.pdf

 

Comentários

  • Esta notícia ainda não tem comentários. Seja o primeiro!

Mais lidas