Cookies e Política de Privacidade
A SIGNIS Agência de Notícias utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Igreja reafirma apoio à democracia brasileira e condena vandalismo em Brasília

Em nota, CNBB se diz perplexa e que envolvidos devem ser responsabilizados por ataques criminosos. Lideranças e outras organizações da Igreja também se manifestaram.

Há 27 dias - por Redação
Igreja reafirma apoio à democracia brasileira e condena vandalismo em Brasília
(foto por Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Após a onda de atos violentos que ocorreram no domingo (8/1), em Brasília, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), através de sua conta no Twitter, disse estar perplexa frente aos "ataques criminosos ao Estado Democrático de Direito".
 
Em nota, a CNBB ainda pediu serenidade e defendeu que organizadores e participantes sejam "responsabilizados com os rigores da Lei. Os cidadãos e a democracia precisam ser protegidos".
 
Lideranças, congregações e movimentos da Igreja Católica no Brasil também se manifestaram em relação aos atos. O Cardeal Arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer disse: "É inaceitável o que aconteceu nesta tarde em Brasília! Isso não tem cabimento no convívio democrático. É necessário acalmar os ânimos. Quem quer ser respeitado, precisa respeitar".
 
O bispo auxiliar de Belo Horizonte, Dom Vicente Ferreira classificou como inadmissível a "destruição do patrimônio, em plena luz do dia".
 
A Comissão Justiça e Paz - Regional Sul 1 da CNBB manifestou repúdio e  "integral apoio ao Decreto de Intervenção Federal no Distrito Federal". Da mesma forma, a Cáritas Brasileira repudiou os "atos de violência e terrorismo desferidos contra a democracia" e ressaltou que funcionários públicos foram feridos e que o patrimônio depredado.
 
Ainda na noite de domingo, o Cimi (Conselho Indigenista Missionário) disse que "Todas as responsabilidades políticas, cíveis e criminais devem ser apuradas e os principais articuladores destes atos violentos devem ser punidos com severidade. Sem Anistia!"
 
A Congregação dos Jesuítas do Brasil também condenou os atos, afirmando que "A justiça e o diálogo pela Paz, que constrói pontes, são os únicos caminhos para alcançarmos uma sociedade justa e fraterna". Já o Conselho Nacional do Laicato reiterou "o apoio ao Sistema Democrático, aos Poderes instituídos pelo voto direto do povo, bem como ao Supremo Tribunal Federal, pela segurança e pelo bem comum do povo brasileiro".
 
Dioceses e arquidioceses pelo país compartilharam a declaração da CNBB. Algumas escreveram suas próprias manifestações, lamentando o fato. "A lesão ao estado de direito e à democracia, perpetrada por grupos de criminosos, ofende a liberdade de um povo que constrói sua sociedade a partir da justiça e do dialogo entre as partes. A verdadeira politica sempre põe no centro o respeito do ser humano e o compromisso de todos para a construção de uma sociedade mais justa, fraterna e solidária", diz nota publicada pela Diocese de Roraima.
 
Na tarde de domingo, apoiadores radicais do ex-presidente Jair Bolsonaro invadiram a sede do Congresso Nacional, da Presidência e do Supremo Tribunal Federal em Brasília, causando violência e depredação ao patrimônio público. Com o objetivo de reestabelecer a ordem, o presidente Luís Inácio Lula da Silva ordenou intervenção federal em Brasília e no Distrito Federal até 31 de janeiro.
 

Comentários

  • Esta notícia ainda não tem comentários. Seja o primeiro!

Mais lidas