Cookies e Política de Privacidade
A SIGNIS Agência de Notícias utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Santo Atanásio (2 de maio)

Há 17 dias
Santo Atanásio (2 de maio)

Os primeiros séculos do cristianismo foram de intensa perseguição aos que pertenciam à religião, sobretudo no império de Diocleciano (284/305) quando uma multidão de pessoas foi martirizada. Todavia, seu segundo sucessor, Constantino (307/337), por meio do Edito de Milão (313), concedeu liberdade plena para a religião cristã e mais que isso, declarou-a religião oficial do Império. Com isso, nem tudo foi bom para a Igreja, pois religião e política, fé e poder se misturaram e também a intromissão do Estado na Igreja.
Mas os problemas não foram só externos. Dentre os maiores do período tivemos o Arianismo. Ário, presbítero de Alexandria, defendia que Cristo era criatura de Deus e não Deus e que Ele não existia desde sempre, como a Igreja entende desde o início. Em 318, seu bispo Alexandre lhe chamou a atenção, mas ele não cedeu e, por isso, foi convocado o primeiro Concílio de Nicéia (325), quando o Arianismo foi condenado e foi definido o credo que até hoje professamos: “Creio em Jesus Filho unigênito do Pai, nascido do Pai antes de todos os séculos. Deus de Deus, Luz da Luz, gerado e não criado, da mesma substância do Pai” Mas, infelizmente, o arianismo provocou cisão ainda por alguns séculos.
Isto foi uma introdução para falar sobre Atanásio.
Ele nasceu em 296, em Alexandria, Egito. Dotado de inteligência rara, fez rápidos progressos nas ciências sacras e profanas. Participou do Concílio na condição de assessor do seu bispo, sendo ainda diácono. Sua participação foi fundamental pela argumentação bíblica apresentada e pela lucidez de sua doutrina. Os erros dos arianos foram por ele refutados com absoluto brilho, clareza e evidência que causou admiração a todos participantes.
Logo após o Concílio, veio a falecer o bispo de Alexandria. Povo e clero proclamaram Atanásio como sucessor, apesar te ter somente 31 anos. Dirigiu sua diocese por 46 anos. Bispo nenhum na história da Igreja teve uma vida agitada, sofrida e perseguida como ele. Os arianos não lhe deram descanso. Por cinco vezes, teve que fugir de sua sede episcopal, alternando fugas e retornos triunfais. Viveu no deserto por vários anos onde conheceu Santo Antão. Durante cinco anos, ficou escondido durante o dia no túmulo de seu pai, saindo à noite para dirigir sua igreja e consolar os fiéis e jamais cedeu à heresia.
Morreu pranteado por toda a Igreja, com 77 anos. A Igreja o reconheceu como Doutor.
Santo Atanásio, rogai por nós!

Sobre o autor

Raul Ribas

Pós-graduado em Teologia pela Universidade Católica Dom Bosco, de Campo Grande (MS), membro do Movimento dos Focolares e um entusiasta pesquisador e divulgador da vida dos santos.