Cookies e Política de Privacidade
A SIGNIS Agência de Notícias utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Santos Paulino de Nola, Tomás More e João Fischer (22 de junho)

Há 14 dias
São Tomás More
São Tomás More

Neste dia com tantos e notáveis santos, três se distinguem para nossa veneração:

Paulino de Nola (335/431): dedicou-se à carreira política; foi cônsul, prefeito de Roma e governador da região de Nápoles. Casou-se e teve um filho. Renunciou à carreira e aos bens em 393 para se dedicar à vida monástica. Sagrado bispo de Nola, lá permaneceu até sua morte aos 77 anos de idade.


Fischer e More são os dois mártires mais conhecidos da Reforma na Inglaterra. A morte deles está relacionada com a tentativa do Rei Henrique VIII, em 1530, de desfazer seu casamento com a rainha Catarina de Aragão, para se casar com Ana Bolena. Rompeu com a Igreja de Roma e o subserviente Parlamento Inglês publicou Ato de Supremacia que proclamava o rei e seus sucessores como chefes temporais da Igreja na Inglaterra e isso persiste até hoje.
Fischer, nascido em 1469, era arcebispo de Roschester e a maior figura da Igreja inglesa do seu tempo e por denunciar o divórcio do rei e recusar-se a assinar, como o rei exigia, o Ato de Supremacia do rei sobre a Igreja, foi preso por 5 anos. Na prisão, foi nomeado cardeal pelo Papa Paulo III, sendo finalmente condenado à morte, o que aconteceu no doa 22 de junho de 1535.

 

Quinze dias depois foi também decapitado Tomás More e sua cabeça foi igualmente exposta na ponta de uma lança na ponte de Londres.
More, como chanceler, ocupava o segundo lugar no reino. Culto e escritor famoso, era casado, pai de um filho e três filhas. Colocado diante do dilema de trair sua consciência votando a favor do Ato de Supremacia, ou perder os bens e a vida, não duvidou: foi fiel à sua consciência. Demitiu-se do cargo, denunciou a irregularidade do divórcio, foi condenado e martirizado, passando para a história como “O homem que não vendeu sua alma”.


Santos Paulino de Nola, João Fischer e Tomás More. roguem por nós!

Sobre o autor

Raul Ribas

Pós-graduado em Teologia pela Universidade Católica Dom Bosco, de Campo Grande (MS), membro do Movimento dos Focolares e um entusiasta pesquisador e divulgador da vida dos santos.

Mais lidas