Cookies e Política de Privacidade
A SIGNIS Agência de Notícias utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

São Celestino (28 de julho)

Há 18 dias
São Celestino (28 de julho)

Com satisfação, nós lembramos da santidade do Papa Celestino I, que governou a Igreja dos anos 422 até 432. Ele nasceu na Itália e, ao ser escolhido para governar a Igreja de Cristo, usou muito bem o cajado da justiça e paz.
No tempo dele, havia a autossuficiência do Pelagianismo que, embora condenado no Concílio de Cartago, chefiado em 417 por Santo Agostinho, perdurava querendo “contaminar” os cristãos, pois afirmava uma “auto salvação”, ou seja, o ser humano consegue salvar-se por si só, sem depender da graça de Deus. Para Pelágio, Cristo não passava de um homem que nos deixou exemplos insuperáveis que apontam o caminho do bem.
Celestino combateu também contra a heresia do Nestorianismo. Nestório, patriarca de Constantinopla, afirmava ter Jesus duas naturezas e duas pessoas, negando a divina maternidade de Maria Santíssima, alegando ser ela somente mãe do homem Jesus (Cristókos) e não mãe de Deus (Teotókos). Por esta razão, foi convocado o Concílio de Éfeso em 431, dirigido por São Cirilo, patriarca de Alexandria. Nele foi promulgada solene definição e o Dogma Mariano de que Maria é, verdadeiramente, mãe de Deus e nossa mãe.
São Celestino fez de tudo para condenar o erro e o pecado sem deixar de amar o errado e o pecador. Assim, viveu na santidade, até entrar na eterna casa dos santos em 432.
São Celestino, rogai por nós!

Sobre o autor

Raul Ribas

Pós-graduado em Teologia pela Universidade Católica Dom Bosco, de Campo Grande (MS), membro do Movimento dos Focolares e um entusiasta pesquisador e divulgador da vida dos santos.

Mais lidas